quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Asas




Asas

Eu nasci e podia voar
tocar cada nuvem, descançar na lua
e fui crescendo.
Crescendo e aprendendo e minhas asas encurtando.
Quanto mais eu sei, menos asas tenho
e menos vôos posso fazer.
Hoje já não toco as nuvens,
dirijo um carro desfazendo as asas
que um dia eu tive e hoje não as tenho mais.

Anderson Rabelo

Um comentário:

Renúncia disse...

Lindo Anderson, és mesmo um anjo!