terça-feira, 29 de junho de 2010

Foice e mar(te)lo


Foice e mar(te)lo

Quando tudo foice e martelo
foi-se embora para o mar tê-lo

Anderson Rabelo

5 comentários:

Razy disse...

Eu só queria ter 10% desse dom de brincar com as palavras...

Rafael dos Prazeres disse...

Muito bom o poema e a foto.

Anônimo disse...

POEMA TOSCO !

Não passa mensagem alguma nem faz sentido.

Anônimo disse...

e dai se não faz sentido vc vio a foto?

Ronaldo disse...

Mulherzinha mas ou menos já numa apelação sexual para essa bosta marxista. Poema? Dadaísta talvez? Sem sentido. Vazio. Apenas palavras soltas. A sua descrição explica o porque é tão estúpido. Faz de tudo para não ver, para não entender, para não aprender. Por isso é um completo estúpido fruto de um ensino decadente aos moldes de Paulo Freire que jamais alfabetizou alguém nessa porra. Um filho da puta que estava muito mais preocupado com a revolução do que com o ensino. Parabéns por ter orgulho da sua ignorância. O mais irônico é um esquerdistazinho de merda usar uma mulher dessa forma baixa. Seu machista. Comunista tem que ser feminista, porra!